As mulheres do Sul mulheres brancas mulheres negras mulheres indígenas

As mulheres do Sul mulheres brancas mulheres negras mulheres indígenas Somos muitas com nossas realidades plurais e também sofremos o que a gente chama de intersecção de opressões então a gente todas nós sofremos com o machismo Com certeza mas muitas vão sofrer também com o racismo por exemplo ou então com opressão social que é o caso da mulher pobre então é entender que mulheres passam por experiências diferentes de opressão todas nós temos que conviver com a pressão mas com experiências diferença é óbvio que a experiência de uma mulher pobre e negra e periférica ela vai passar sofrer várias intersecções de opressao é diferente da vivência de uma outra mulher da cidade da mulher urbana da mulher do campo da mulher branca da mulher rica todas nós vamos conviver com o machismo mas muitas vão conviver com outras intersecções e outras operações obrigada a gente que ouvindo Alô traz uma questão extremamente importante e eu lembro que quando a gente fazia o mundo posso pandemia a Gabi falou sobre o livro da djamila quem tem medo do feminismo negro e você falou justamente sobre isso inclusive no contexto da pandemia O que é o livro da Diane não quem tem medo do feminismo negro que é uma coletânea de colunas que ela já tinha publicado se eu não me engano na capital é um livro muito legal para gente entender um pouco mais sobre isso de amigo é sempre muito didática e ela fala sobre como as mulheres negras combinam mais de um tipo de opressão então a gente percebe porque muitas vezes a gente fala que o discurso das mulheres as mulheres têm que se unir o discurso tem que ser um só eu acho claro que a união tem uma força fundamental mas a gente precisa entender as peculiaridades a gente precisa entender que quando eu falo sobre a minha condição eu falo de um lugar existem outras mulheres que experimentam outras situações outras operações outras violências e a gente precisa aprender a observar essas diferenças para que a gente não menospreze esse outro tipo de demanda entendeu ou não caia na cilada de achar que o mundo é só aquele que a gente consegue enxergar com os nossos olhos que são olhos viciados pela nossa vivência né a gente claro eu nunca vou eu não experimentei a violência experimento uma mulher negra Eu também tive uma condição socioeconômica que me permitiu uma experiência distinta de outras mulheres no Brasil porque a gente é um país muito desigual acho que a gente está consciente para isso é consciente disso e o livro dele lá é muito legal para começar então eu sugiro para todo mundo foi um livro que me impactou profundamente é importante né saber o nosso lugar também para olhar o lugar do outro agora aí vamos falar um pouquinho sobre as mulheres na política Porque aqui no país as mulheres ainda são minoria na política entre os nossos vizinhos aqui na América Latina a gente tem os mais baixos de representatividade feminina esse segundo um estudo feito pela pelo programa das Nações Unidas para o desenvolvimento e pela ONU mulheres vamos ver agora o tanquinho até lá olha lá o México lidera a lista de países seguido por Bolívia peru Colômbia e Argentina Honduras Guatemala e Uruguai o Brasil é o antepenúltimo aparece em nono lugar para frente só do Chile e do Panamá essa pesquisa analisou vários temas por exemplo o direito ao voto participação das mulheres nos partidos e dos cargos públicos Além disso também avaliam as condições das mulheres exercerem as funções delas a gente vai ouvir a Gabi daqui a pouquinho mas agora vamos falar sobre essa presença feminina na política com a Marina Silva Marina Silva foi ministra do meio ambiente Senadora pelo Acre concorreu à presidência três vezes ela disse que a participação das mulheres na política é muito importante pode acontecer de várias maneiras podemos participar três condições a primeira delas é como sujeito político aquele que é capaz de conscientemente de forma criativa produtiva em livro interferir na dinâmica Econômica social cultural do mundo em que vive a outra forma é nos movimentos sociais na dinâmica da própria sociedade desdobrando o papel e o caráter ver esse sujeito político institucional que tem trazido grandes transformações em benefício das mulheres no combate a toda e qualquer forma de discriminação ao estudo que foi feito tem que ir nos 15 países que temos uma representação de mulheres em torno de 30% nos seus parlamentos a diferença entre o salário dos homens e das mulheres isso reduziu muito sem falar em inglês que são feitas as políticas públicas que são acumuladas vendo o lado das mulheres principalmente no que concerne a questões ligadas à educação saúde atende