Financiamento de motocicleta: mais autonomia para sua vida

No Brasil, as motos são bem populares. Nosso clima favorece o uso desse veículo de duas rodas que é um verdadeiro facilitador de vidas. É muito mais fácil cumprir as tarefas do dia a dia quando você não tem que fazer caminhadas longas ou esperar pelo próximo ônibus que só chega em meia hora. 

Se você não tem uma família grande ou só precisa de um veículo para se locomover até o seu local de trabalho, por exemplo, é bem provável que já tenha passado pela sua cabeça a possibilidade de comprar uma moto. Mas, você sabe como pode fazer isso?

– Como comprar uma moto

Veremos a seguir três dos métodos possíveis:

  1. Financiamento

Esse método é o mais famoso. Basicamente, consiste em pedir ao banco o dinheiro que você precisa para comprar o bem e, caso o crédito seja aprovado, você paga ao banco parcelas mensais somadas aos juros. Você também é aconselhado, e às vezes obrigado, a dar uma entrada de ao menos 20% para poder utilizar esse método. Quanto maior for a entrada, menor serão os juros aplicados e valores das parcelas. Você também pode simular essa alternativa em sites.

  • Consórcio

O consórcio é o segundo método mais utilizado. Consiste em pagar uma taxa para inicia-lo, pagar as parcelas mensais e torcer para ser contemplado o mais rápido possível ou dar um bom lance. Essa alternativa está mais voltada a aqueles que estão dispostos a tentar a sorte e não tem pressa de ter o veículo em mãos. A notícia boa é que as parcelas não têm juros acrescentados, se opondo à realidade do financiamento.

  • Leasing

O leasing é um método alternativo para aqueles que estão com o nome no SPC ou no SERASA. O vendedor adquire o bem em seu CNPJ, e o transfere ao fim do pagamento das parcelas.

Você notou o que esses métodos têm em comum? Parcelas! E qual o principal problema disso? Bem, compras parceladas são um risco na mão de pessoas desorganizadas. A prova disso é o número de pessoas que têm seus nomes negativados por problemas com cartão de crédito. Então, o que deve ser feito para evitar que você se torne uma delas?

– Como se organizar com parcelas?

  • Planeje-se: Analise as suas condições atuais e decida quanto de entrada você pode oferecer sem se endividar. Tenha em mente que dar zero de entrada vai aumentar os juros das suas parcelas, ou no caso do consórcio, o valor delas.
  • Pesquise os preços: Não se limite à pesquisa de concessionárias, analise os valores pagos se você der um valor x de parcelas e se você der um valor y. Se a compra será feita por financiamento, o faça no banco que você é correntista, isso pode te dar benefícios valiosos.