Financiando um carro sem entrada: Entenda o processo

Com a vida cada vez mais corrida, a locomoção se tornou motivo de preocupação e estresse na vida de qualquer pessoa. Os meios de transporte, apesar de permitirem que nós nos locomovamos mais rápido e com maior facilidade, nem sempre nos tiram a dor de cabeça.

Os meios de transporte coletivo podem ter condições precárias, tanto em questões de infraestrutura, como em termos de superlotação. Em alguns países, esses problemas não se encontram tão agravados. No entanto, o Brasil está entre os países que deixam a desejar quanto ao transporte público, desde as grandes às pequenas cidades.

– A necessidade de um veículo

Com tal situação, surge a necessidade de um veículo próprio. Um veículo, de fato, quando adquirido no tempo e da forma certa, é um facilitador de vidas. Se você está cansado de andar a pé, ir ao trabalho em um ônibus lotado e chegar sempre atrasado nos lugares, você precisa de um carro. Se você quer um, é preciso decidir a forma de compra.

Dentre tantas opções, a escolha pode ser bem difícil, certo? Mas ela não precisa ser. É necessário que uma análise seja feita em relação às suas necessidades e condições pessoais e financeiras atuais. Consórcio contemplado, empréstimo pessoal, leasing, à vista, financiamento, todos esses são métodos pelos quais você pode optar.

– Financiamento sem entrada

A maioria dos compradores opta pelo financiamento, devido às condições financeiras que enfrentam e a urgência de obtenção do veículo. Se você já escolheu o método, isto é um passo à frente. Mas, não acaba por aí. Complicações podem aparecer no caminho se você for negativado, por exemplo.

Mas há outro impasse recorrente: as pessoas têm tanta urgência em comprar um carro, não podem seguir outros métodos, não têm o dinheiro necessária para a entrada e nem tempo para consegui-lo. E aí, dá para financiar mesmo sem entrada?

A resposta é sim, mas o processo é um pouco diferente. Esse tipo de financiamento não ocorre em qualquer lugar. Geralmente, é uma opção disponível nas concessionárias e é mais fácil de ter sucesso se você escolher comprar um carro usado.

Se você prefere optar por um novo, alguns bancos trabalham com essa opção. Se você tem um bom perfil, vale a tentativa. Suas chances de aprovação são grandes, mas entenda que o processo de pesquisa tem que ser muito bem feito. Afinal, uma facilidade como essa não é dada assim de graça. Esse modo de financiamento também exige um pagamento maior de juros.