Queiroga afirma que os rumos da política de saúde continuarão a ser determinados por Bolsonaro

Mesmo sem ter assumido oficialmente o cargo Marcelo Queiroga passou o dia cumprindo uma agenda, chegou cedo ao ministério da saúde, teve reuniões no gabinete com Eduardo Pazuello, e participou de um encontro no gabinete de Cris que gerencia as ações de saúde no combate à pandemia, o primeiro contato ele teve com jornalistas, no primeiro contato Marcelo Queiroga disse que terá uma obediência ao presidente Bolsonaro, disse que foi convocado pelo presidente Bolsonaro, e que vai buscar soluções, eles entregaram várias vacinas, Pazuello falou também sobre o papel secundário do ministro da saúde no governo Bolsonaro, Queiroga defendeu o uso de máscaras, porque o uso das máscaras são medidas simples de bloqueio ao vírus, lave as mãos, Marcelo Queiroga e Pazuello também se encontraram com o ministro das comunicações Fábio Faria, e com o secretário de comunicação do governo Flávio Rocha, o objetivo da reunião foi alinhar o discurso do ministério com o do palácio do planalto, Marcelo Queiroga não tocou em assuntos polêmicos como Cloroquina ou isolamento social, mas anteriormente já havia deixado claro que é contra a cloroquina e a favor do isolamento social.






Faça Parte! Adicione seu e-mail e receba mais informações